DE “JOGOS DE LINGUAGEM” A “JOGOS DE VERDADE”: A INCORPORAÇÃO DO PODER NAS ANÁLISES DISCURSIVAS

  • Meliza Marinelli Franco Carvalho Faculdade de Direito do Sul de Minas
  • Elias Kallás Filho Faculdade de Direito do Sul de Minas
Palavras-chave: Jogos de Linguagem. Jogos de Verdade. Poder. Discurso.

Resumo

A questão central dessa pesquisa está em explicitar como se dá a construção da verdade nos diversos discursos e a influência disso no campo do direito, explorando-se a contribuição de Michel Foucault. Para serem atingidos esses resultados, a pesquisa utilizará de estudos sobre a preocupação central de Foucault: o discurso, que encontrou seu ápice na História da Loucura de 1967. Ainda que seja assim, os métodos da genealogia e da arquegenealogia são permanentes para as investigações desenvolvidas pelo francês. Diante da possibilidade de tematizar a linguagem para além das estruturas da simples comunicação, por sua vez, propõe-se breve confronto entre as reflexões teóricas da filosofia da linguagem de Wittgenstein e a construção da verdade foucautiana. A relação do conceito de “jogos de verdade” proposto por Foucault, com o conceito de “jogos de linguagem” de Wittgenstein pode mostrar certa diversidade para a compreensão da expressividade do homem, passando de uma função de determinar significados para uma função de determinar a verdade, de construir a verdade. No campo do direito, a filosofia da linguagem nos alerta a como pensar o problema da construção discursiva do sentido dos direitos fundamentais como uma relação de poder.

Biografia do Autor

Meliza Marinelli Franco Carvalho, Faculdade de Direito do Sul de Minas
Mestranda em Constitucionalismo e Democracia pela FDSM. Bolsista FAPEMIG.
Elias Kallás Filho, Faculdade de Direito do Sul de Minas
Pós-doutor da Fundação São Francisco de Assis. Doutor pela Universidade de São Paulo. Professor do Programa de Pós-graduação Strictu Sensu da Faculdade de Direito do Sul de Minas. Advogado. Pouso Alegre – MG, Brasil.

Referências

BIRMAN, Joel. Jogando com a verdade: uma leitura de Foucault. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2002.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

__________. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2003.

__________. Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

__________. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1976.

FOUCAULT, Michel. et al. O homem e o discurso: a arqueologia de Michel Foucault. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2008.

KALLÁS FILHO, E; FONSECA, J. P. O. A influência da prova pericial nas decisões judiciais acerca da responsabilidade civil dos médicos. Revista de Direito Sanitário, v. 16, p. 101, 2015.

OLIVEIRA, Manfredo A. de Oliveira. Reviravolta linguístico-pragmática na filosofia contemporânea. 3 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. Trad. José Carlos Bruni. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
CarvalhoM. M. F.; FilhoE. K. DE “JOGOS DE LINGUAGEM” A “JOGOS DE VERDADE”: A INCORPORAÇÃO DO PODER NAS ANÁLISES DISCURSIVAS. REVISTA DA AGU, v. 17, n. 4, 28 dez. 2018.
Seção
Artigos