A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE PELA ADVOCACIA PÚBLICA

  • Thiago Emmanuel Chaves de Lima Advocacia-Geral da União
Palavras-chave: Responsabilidade Estatal Ambiental, Tutela Judicial do Meio Ambiente, Advocacia Pública e Meio Ambiente, Responsabilidade Administrativa Ambiental, Ação Civil Publica Ambiental

Resumo

Ao conferir natureza pública à proteção ambiental, o Direito Ambiental coloca os Estados na posição central da proteção ao meio ambiente, o que fez com que praticamente todos os Tratados Internacionais e Cartas Nacionais estabelecessem os entes estatais como os principais responsáveis pelas medidas necessárias à conservação do meio ambiente. No caso do Brasil, o caput da CF/88, ao passo que reconhece a todos o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, coloca o Poder Público, que engloba os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, da administração direta ou indireta, nos níveis federal, estadual, distrital ou municipal, como principal responsável pela defesa e preservação do meio ambiente. Com efeito, a partir da Constituição Federal de 1988, a defesa do Estado deixou de ser feita no âmbito judicial pelo Ministério Público e passou a ser feita pela chamada Advocacia Pública, que concentra desde então, além dessa atribuição, a de prestar consultoria e assessoramento jurídico à Administração Pública. Nesse contexto, exerce a Advocacia Pública um relevante papel na proteção do meio ambiente, através da prestação de consultoria e assessoramento jurídico em matéria de legislação ambiental junto à União, aos Estados, ao DF, aos Municípios, e às respectivas autarquias e fundações, bem como por meio da cobrança judicial das multas aplicadas pelas entidades fiscalizadores integrantes do SISNAMA, além da promoção de ações civis públicas em matéria ambiental na qualidade de representante judicial dessas mesmas entidades, em ações populares, desapropriações e mandados de segurança, sempre na defesa desses interesses tidos por transindividuais.

Biografia do Autor

Thiago Emmanuel Chaves de Lima, Advocacia-Geral da União

Procurador Federal

Mestrando em Direito Ambiental – UNISANTOS

Especialista em Direito Público - UnB

Referências

AMORIM, Filipo Bruno Silva. A Advocacia Pública Federal e suas peculiaridades. Do regime jurídico às atribuições constitucionais. Da ética à proteção jurídica do interesse público. Jus Navigandi, Teresina, ano 17, n. 3420, 11 nov. 2012 . Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/22990>. Acesso em: 20 nov. 2013.

BENJAMIN, Antônio Herman (Coord.). Dano ambiental: prevenção, reparação e repressão. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1993.

BENJAMIM, Herman. Direito Constitucional Ambiental Brasileiro. In: Direito Constitucional Brasileiro. Org.: CANOTILHO, JJ.G.; LEITE, J.R.M. São Paulo: Saraiva, 2008.

BENJAMIM, Antônio Herman. Constitucionalização do ambiente e ecologização da Constituição brasileira. In: CANOTILHO, José Joaquim Gomes; MORATO LEITE, José Rubens (Orgs.) Direito Constitucional Ambiental Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2008.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Estudos sobre Direitos Fundamentais. Coimbra: Coimbra, 2004.

FIGUEIREDO, Guilherme José Purvin de. Advocacia Pública e a defesa do meio ambiente à luz do art. 225 da CF. In: BENJAMIN, Antônio Herman; Figueiredo, Guilherme José Purvin de. (coordenadores). Direito Ambiental e as funções essenciais à justiça: o papel da advocacia de estado e da defensoria na proteção do meio ambiente. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 8. ed. revista, atualizada e ampliada. São Paulo: Saraiva, 2007.

KLOEPFER, Michael. A caminho do Estado Ambiental? A transformação do sistema político e econômico da República Federal da Alemanha através da proteção ambiental especialmente desde a perspectiva jurídica. In: KRELL, Andreas J...(et al); SARLET, Ingo Wolfgang, org. Estado socioambiental e direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. 21. ed. revista, ampliada e atualizada. São Paulo: Malheiros, 2013.

MARINELA, Fernanda. Direito Administrativo, 6. ed. Niterói: Impetus: 2012.

MAZZILLI, Hugo Nigro. A defesa dos interesses difusos em juízo: meio ambiente, consumidor, patrimônio cultural, patrimônio público e outros interesses. 22. ed. revista, ampliada e atualizada. São Paulo: Saraiva, 2009.

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. 17. ed. revista e atualizada. São Paulo: Malheiros, 2004

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Estado socioambiental e mínimo existencial (ecológico?): algumas aproximações. In: KRELL, Andreas J...(et al); SARLET, Ingo Wolfgang, org. Estado socioambiental e direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010

SILVIA, Flávia Regina Ribeiro da. Ação popular ambiental. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

TOMÉ, Romeu. Manual de Direito Ambiental. 2 ed. Salvador, 2012.

STA 320, Relator(a): Min. MINISTRO(A) PRESIDENTE, Decisão Proferida pelo(a) Ministro(a) GILMAR MENDES, julgado em 05/05/2009, publicado em DJe-086 DIVULG 11/05/2009 PUBLIC 12/05/2009.

Como Citar
LimaT. E. C. de. A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE PELA ADVOCACIA PÚBLICA. REVISTA DA AGU, v. 14, n. 1, 11.
Seção
Artigos