DO INSTITUTO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NO DIREITO BRASILEIRO: CONCEITO, NATUREZA E REGIME JURÍDICO.

  • George Felicio Gomes de Oliveira Universidade Federal do Ceará
  • George Felício Gomes de Oliveira
Palavras-chave: Microempreendedor Individual. Microempresa. Desenvolvimento. Política pública. Direito social.

Resumo

A essência do desenvolvimento é a melhoria da qualidade de vida das pessoas menos favorecidas. O combate à pobreza e o respeito à dignidade humana são estratégias aptas a alterar a realidade. Para tanto, é recomendável que a noção de desenvolvimento seja desatrelada do estrito espaço da economia e amplie seu horizonte em atenção à liberdade do ser humano. Se, por um lado, livre é aquele que pode se movimentar sem obstáculos abusivos ao exercício de seus direitos, do outro lado mira-se a face da liberdade segundo a qual ao sujeito estão disponíveis os instrumentos necessários ao pleno desempenho de suas capacidades. Argumenta-se que, no Brasil, tais meios sempre estiveram longe do alcance da maioria da população. Investiga-se, no presente estudo, uma iniciativa que almeja influenciar a alteração desse cenário: o Programa do Microempreendedor Individual. Estabelecido a partir da Lei Complementar nº 128/2008, referido instituto jurídico possibilita que determinadas categorias de trabalhadores informais legalizem-se como pequenos empresários, tornando-se, assim, acolhidos por uma política pública estatal. Examina-se os alicerces dessa estrutura, buscando, primordialmente, delinear-lhe o regime jurídico. Além disso, pretende-se demonstrar que há razões para acreditar no acerto dessa empreitada em prol do desenvolvimento de uma cidadania empresarial livre da burocracia historicamente excludente. Mediante pesquisa de caráter interdisciplinar, através de metodologia de abordagem qualitativa e pura, além de exploratória quanto aos objetivos e bibliográfica e documental quanto às fontes, verifica-se o impacto dessa medida no ordenamento jurídico brasileiro, no sistema econômico e no cotidiano das pessoas sob seu manto acolhidos.

Referências

ASQUINI, Alberto. Profili dell’ impresa. Tradução Fábio Konder Comparato. In: Revista de Direito Mercantil, Industrial, Econômico e Financeiro, nº 104, p. 109-126. São Paulo: RT, 1996.

BOBBIO, Norberto. Da estrutura à função: novos estudos de teoria do direito. São Paulo: Manole, 2007.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional, 13ª. ed., São Paulo: Malheiros, 2003.

BRAVO, Kalinka Conchita Ferreira da Silva. Desoneração tributária: a questão do não favorecimento no Simples nacional. Monografia. Prêmio Tributação e Empreendedorismo (1ª edição). Comitê Gestor do Simples Nacional, 2011. Disponível na internet em < http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/Arquivos/noticias/monografia_da_primeira_colocada.pdf >. Acesso em 01 fev 16.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Políticas públicas e direito administrativo. In: Revista de Informação Legislativa. Brasília, v. 34, n. 133, p. 89-98, jan.-mar./1997.

CALDEIRA, Jorge. História do Brasil com empreendedores. São Paulo: Mameluco, 2009.

CALLEGARI, José Carlos. Desenvolvimento econômico, direito do trabalho e direitos sociais: uma análise das convenções da organização internacional do trabalho. In: PIOVESAN, Flávia; SOARES, Inês Virgínia Prado (Coord.). Direito ao desenvolvimento. Belo Horizonte: Fórum, 2010, p. 491-513.

CARDIA, Fernando. Estado, desenvolvimento e políticas públicas. In: AMARAL JUNIOR, Alberto do (org.). Direito internacional e desenvolvimento. Barueri: Manole, 2005.

¬¬

_____________. Uma breve introdução à questão do desenvolvimento como tema de direito internacional. In: AMARAL JUNIOR, Alberto do (org.). Direito internacional e desenvolvimento. Barueri: Manole, 2005.

COLBARI, Antonia de Lourdes. Do Autoemprego ao Microempreendedorismo Individual: Desafios Conceituais e Empíricos. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, jan. /mar. 2015, v.4, n.1, p. 165-189.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 7ª. ed. rev. e atual., São Paulo: Saraiva, 2010.

D'AGUIAR, Rosa Freire (org.). Essencial Celso Furtado. São Paulo: Penguin Classics: Companhia das Letras, 2013.

FALCÃO, Raimundo Bezerra. Hermenêutica. 2ª. ed., São Paulo: Malheiros, 2010, p. 19.

FONTES, Adriana; PERO, Valéria. Desempenho dos microempreendedores no Brasil. Revista EconomiA, Brasília(DF), v.12, n.3, p.635–665, set/dez 2011.

FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. In: Planejamento e políticas públicas, n. 21, p. 212-259, 2000.

FURTADO, Celso. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, 2009.

____________. Formação econômica do Brasil. 32ª. ed., São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2003.

____________. Raízes do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2003.

LIMA, Francisco Meton Marques de. O livro dos valores: os valores da vida e a vida dos valores ou guia das escolhas de valor. Teresina: Dinâmica Jurídica, 2014.

MATIAS, João Luís Nogueira. A ordem econômica e o princípio da solidariedade na Constituição Federal de 1988. In: Revista Nomos – Revista do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Direito da UFC. Fortaleza, n. 28, jul./dez. 2009, p. 73-74.

OLIVEIRA, João Maria. Empreendedor individual: ampliação da base formal ou substituição do emprego? In: Radar: tecnologia, produção e comércio exterior. Brasília: IPEA, 2013, v. 25, p. 33-44.

PACOBAHYBA, Fernanda Mara de Oliveira Macedo Carneiro. O microempreendedor individual como expressão de extrafiscalidade no direito tributário nacional. Dissertação (mestrado) – Universidade de Fortaleza, 2011.

PAES, Nelson Leitão. Simples Nacional no Brasil: o difícil balanço entre estímulos às pequenas empresas e aos gastos tributários. Nova economia, Belo Horizonte, v. 24, n. 3, p. 541-554, Dez. 2014. Disponível na internet em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-63512014000300541&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 29 nov 15.

PAULANI, Leda Maria. A inserção da economia brasileira no cenário mundial: uma reflexão sobre a situação atual à luz da história. Boletim de Economia e Política Internacional, v. 10, p. 89-102, 2012.

PERISSINOTTO, Renato. O conceito de Estado Desenvolvimentista e sua utilidade para os casos brasileiro e argentino. In: Revista de Sociologia e Política, v. 22, n. 52, p. 59-75, dez. 2014.

PRADO JUNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 12. ed. São Paulo: Brasiliense, 1972.

RIZZA, Gabriel; SCHWINGEL, Inês. Políticas públicas para formalização das empresas: lei geral das micro e pequenas empresas e iniciativas para a desburocratização. In: Boletim Mercado de Trabalho - Conjuntura e Análise. Brasília: IPEA, 2013, nº 54, p. 47-56.

SACHS, Ignacy. O desenvolvimento enquanto apropriação dos Direitos Humanos. In: Estudos avançados, v. 12, n. 33, maio-ago./1998, p. 149-156.

SANTIAGO, Eduardo Girão. Empreender para sobreviver – estudo sobre a ação econômica dos empreendedores de pequeno porte. Tese (doutorado). Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Fortaleza, 2007.

SEBRAE – Serviço brasileiro de apoio às micro e pequenas empresas. Estudo dos microempreendedores individuais do Nordeste. Paraíba: Sebrae, 2013. Disponível em: < http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/estudo_dos_microempreendedores_individuais_nordeste.pdf >. Acesso em: 02 fev 16.

____________. Perfil do microempreendedor individual 2013. Brasília: Sebrae, 2013. Disponível em: < http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Perfil%20MEI%202013.PDF >. Acesso em: 02 fev 16.

____________. 5 anos: microempreendedor individual – MEI: um fenômeno de inclusão produtiva. / SEBRAE. – Brasília : Sebrae, 2015.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

TIMM, Luciano Benetti. O direito fundamental à livre iniciativa: na teoria e na prática institucional brasileira. In: Revista da Ajuris, v. 106, p. 107-124, 2007.

VINER, Jacob. A Economia do Desenvolvimento. In: Revista Brasileira de Economia, v. 5, n. 2, p. 181-225, 1951.

YUNUS, Muhammad. O banqueiro dos pobres. São Paulo: Ática, 2000.

Publicado
2016-12-13
Como Citar
OliveiraG. F. G. de; OliveiraG. F. G. de. DO INSTITUTO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NO DIREITO BRASILEIRO: CONCEITO, NATUREZA E REGIME JURÍDICO. REVISTA DA AGU, v. 15, n. 4, 13 dez. 2016.
Seção
Artigos