ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO 25 ANOS: UMA INSTITUIÇÃO ESSENCIAL À SEGURANÇA E À SOLUÇÃO DAS RELAÇÕES JURÍDICAS CONTROVERTIDAS DE INTERESSE PÚBLICO

  • Deiser Mara Resende Cardoso Advocacia-Geral da União

Resumo

A Advocacia Geral da União nos seus 25 anos de existência tem demonstrado a sua essencialidade para a Administração Pública e para a distribuição da justiça. Em especial, no que toca à faceta de instituição essencial à justiça chama a atenção as profundas transformações porque passaram a instituição no tradicional paradigma defensivo de sempre apresentar resistência às pretensões individuais. O artigo busca trazer uma análise empírica e não exaustiva acerca da evolução deste paradigma defensivo, das políticas estatais de incentivo à consensualidade e da inserção dos diversos órgãos da Advocacia Geral da União neste contexto.

Biografia do Autor

Deiser Mara Resende Cardoso, Advocacia-Geral da União
Mestre em Justiça Administrativa pela Universidade Federal Fluminense. Especialista em Advocacia Pública pelo Instituto para o Desenvolvimento Democrático, em Direito Ambiental pela Universidade do Sul de Santa Catarina e em Direito Processual pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Procuradora Federal lotada na Procuradoria Seccional Federal em Juiz de Fora

Referências

ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO. Panorama 2017. Disponível em: <https://agudf.sharepoint.com/sites/RedeAGU/SitePages/Atua%C3%A7%C3%A 3o-da-AGU-evitou-sa%C3%ADda-de-R$-1,05-trilh%C3%A3o-dos-cofres- p%C3%BAblicos-em-2017.aspx?web=1>. Acesso em: 20 mar. 2017.

ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS. O uso da justiça e o litígio no Brasil, 2015. Disponível em: <http://s.conjur.com.br/dl/uso-justica- litigio-brasil-pesquisa-amb.pdf>. Acesso em: 3 nov. 2015

CLEMENTINO, Marco Bruno Miranda. As demandas repetitivas de direito público e o princípio da procedimentalização da isonomia. In: MORAES, Vânila Cardoso André (coord.). As demandas repetitivas e os grandes litigantes: possíveis caminhos para a efetividade do sistema de justiça brasileiro. Brasília: Enfam, 2016.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Resolução n. 125, de 29 de novembro de 2010. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/atos-administrativos/atos-da-presidencia/323-resolucoes/12243-resolucao-no-125-de-29-de-novembro-de-2010>. Acesso em: 9 out. 2016.

______. Diagnóstico sobre as causas de aumento das demandas judiciais cíveis, mapeamento das demandas repetitivas e propositura de soluções pré-processuais, processuais e gerenciais à morosidade da Justiça. Fundação Getúlio Vargas. 2010a. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/images/pesquisas- judiciarias/Publicacoes/%20relat_pesquisa_fgv_edital1_2009.pdf> . Acesso em: 1 jul. 2016.

______. Inter-relações entre o processo administrativo e o judicial (em matéria fiscal) a partir da identificação de contenciosos cuja solução deveria ser tentada previamente na esfera administrativa. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2010b. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/images/pesquisas- judiciarias/Publicacoes/relat_pesquisa_ufrgs_edital1_2009.pdf>. Acesso em: 15 out. 2016.

______. 100 maiores litigantes. Departamento de Pesquisas Judiciárias. Brasília: CNJ, 2011. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/pesquisas-judiciarias/pesquisa_100_maiores_litigantes.pdf> Acesso em: 1 nov. 2015.

______. Justiça em Números. Departamento de Pesquisas Judiciárias. Brasília: CNJ, v 1, p. 404, 2016. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/pj-justica-em-numeros>: Acesso em: 10 jan. 2016.

CUNHA, Luciana Gross. et al. Índice de Confiança na Justiça. Relatório ICJBrasil - 1 semestre 2017. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/6618> . Acesso em: 22 dez. 2016.

DELGADO, José Augusto. A imprevisibilidade das decisões judiciárias e seus reflexos na segurança jurídica. 2007. Disponível em: <http://bdjur.stj.jus.br/dspace/handle/2011/74120>. Acesso em: 22 fev. 2018.

Instituto De Pesquisa Econômica Aplicada. Custo e tempo do processo de execução fiscal promovido pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), 2012. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/120103_comuni cadoipea127.pdf> . Acesso em: 1 mar. 2018.

KUHN, Paulo Henrique. Gerenciamento das demandas repetitivas pela Administração Pública: dificuldades encontradas e possíveis soluções a serem adotadas na perspectiva da Procuradoria Geral da União. In: Seminário demandas repetitivas na Justiça Federal: possíveis soluções e processuais e gerenciais, 28 fev. e 1 mar. 2013. Centro de Estudos Judiciários, Brasília: Conselho da Justiça Federal, 2013. (Série cadernos do CEJ, 29).

LIMA, Carlos Eduardo Dantas de Oliveira. Evolução da conciliação na Procuradoria-Geral da União. In: Revista Jus Navigandi, Teresina, a. 19, n. 3929, 4 abr. 2014. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/27177>. Acesso em: 6 fev. 2018.

LUCENA FILHO, Humberto Lima de. A constitucionalização da solução pacífica dos conflitos na ordem jurídica de 1988. 2012a. 157 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

SADEK, Maria Tereza Aina. Judiciário: mudanças e reformas. Estud. av. [online]. 2004, v. 18, n. 51, p. 79-101. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 40142004000200005&lng=pt&nrm=iso> Acesso em: 2 fev. 2018.

______. Acesso à Justiça: visão da sociedade. In: Revista Justitia, São Paulo, v. 65, n. 198, p. 271-279, jun. 2008.

VALENTE, Maria Jovita Wolney. História e evolução Advocacia-Geral da União In: GUEDES, Jefferson Carús; SOUZA, Luciane Moessa de (coords.). Advocacia de Estado: estudos em homenagem a Diogo de Figueiredo Moreira Neto e José Antônio Dias Tofffoli. Belo Horizonte: Fórum, 2009.

VIEIRA, Pedro Gallo; FARO, Julio Pinheiro. Um inventário sobre a Advocacia de Estado no Direito Comparado Sul-Americano In: PEDRA, Adriano Sant´Ana (coord.). Advocacia púbica de estado: estudos comparativos nas democracias euro-americanas. Curitiba: Juruá, 2014.

VALIATI, Thiago Priess. O princípio constitucional da segurança jurídica nos setores de infraestrutura: a segurança como dever dos Poderes Público e como direito dos agentes econômicos. 2016. 234f. Dissertação (Mestrado em Direito do Estado). Faculdade de Direito. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

Publicado
2018-10-09
Seção
ARTIGOS